quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Narrativa de aventura


Narrativa de aventura ou Romance de aventura

Desde a Antiguidade, os gêneros literários são conhecidos e geralmente divididos, segundo Aristóteles, em narrativo, lírico e dramático.

Nosso foco diz respeito à tipologia narrativa, que tem sua origem no termo "narrar" que veio do latim "narratio" e quer dizer ato de narrar/ contar acontecimentos reais ou fictícios. Faz parte da narração diferentes formas textuais tais como: romance, novela, conto, crônica e fábula. Em todas essas modalidades há a presença de narrador, personagens e uma sequência de fatos.


Veja a definição de cada modalidade de texto narrativo:

Romance – é um texto completo, com tempo; espaço e personagens bem definidos, de caráter verossímil (semelhante à verdade).

Exemplos: Robinson Crusoé, de Daniel Defoe; Tom Sawyer, de Mark Twain...

Fábula – é um texto de caráter fantástico que busca ser inverossímil (não tem nenhuma semelhança com a realidade). Os personagens principais são animais e a finalidade dessa narrativa é transmitir alguma lição de moral.

Exemplos: A cigarra e formiga, de Esopo; A tartaruga e a lebre, de Esopo...

Novela – é um texto caracterizado por ser intermediário entre a longevidade do romance e a brevialidade do conto. O personagem se caracteriza existencialmente em poucas situações.
Exemplo: A metamorfose, de Kafka...

Conto – é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho). Entre suas principais características, estão a concisão, a precisão, a densidade e a unidade de efeito ou impressão total.
Exemplo: Felicidade clandestina, de Clarice Lispector...

Crônica – é uma narrativa informal, ligada à vida cotidiana, com linguagem coloquial, breve e com toque de humor e crítica.
Exemplo: A última crônica, de Fernando Sabino.

A obra em estudo, Robinson Crusoé, de Daniel Defoe, é classificada como Romance ou Narrativa de aventura e suas principais características são:

*Apresenta ações extraordinárias;

*Envolve emocionalmente o leitor;

*A linguagem e o cenário contribuem para criar a emoção e o suspense do texto;

*Personagens principais: protagonista (personagem principal) e antagonista (personagem rival do principal);

*Personagens secundários: coadjuvantes e figurativos;

*Sequência narrativa: situação inicial, complicação, desfecho e situação final.

Além disso, é de suma importância destacar que, em geral, as histórias de aventura são desenvolvidas em espaços que oferecem grandes desafios aos personagens da narrativa suscitando assim, a figura do herói. Logo, há um personagem que abandona tudo, parte para um lugar distante, enfrenta perigos, vence desafios e se sagra como herói. Esse sujeito de coragem e grandes feitos possui atributos peculiares como força física, determinação, persistência, habilidade, capacidade de solucionar problemas...


Você precisa ler Robinson Crusoé e perceber o quanto esta narrativa é emocionante!

Apesar de ter sido escrita há muitos anos, ela continua sendo uma leitura surpreendente


Fonte:

Grandes Obras da Literatura

 

Um projeto extra e especial d

a Educopédia SME/R

J





Nenhum comentário:

Postar um comentário